No decorrer do nosso desenvolvimento físico e mental ocorrem algumas mudanças marcantes no que desejamos, e como estes desejos são satisfeitos. No entanto, quando não conseguimos progredir de uma fase do desenvolvimento para a outra de forma “normal” poderá ocorrer a fixação, que é quando permanecemos envolvidos em uma fase especifica satisfazendo as nossas necessidades de forma não adequada a nossa maturidade.

 

A fase oral ocorre dentro dos primeiros 12 meses de vida. Nessa fase a necessidade e a gratificação estão concentradas na região da boca, por ela o bebê alivia as necessidades da fome e da sede, e ao mesmo tempo em que essas necessidades são supridas, ele é acalentado nos braços de quem o toma, fazendo com que ele associe o prazer e a redução da tensão ao processo de alimentação.

 

Conforme o crescimento da criança, outras áreas do corpo se desenvolvem tornando-se também importantes regiões de gratificações. Todavia, alguma energia psíquica pode ficar fixada nos meios de gratificação oral.

 

Hábitos constantes em adultos como: comer, chupar, mascar, fumar, morder, lamber, beijar com estalos ou até mesmo fofocar são características físicas da fixação na fase oral, cuja maturação psicológica do sujeito pode não ter se completado.

 

A permanecia de alguma satisfação oral não é considerada patológica desde que o sujeito não dependa excessivamente de hábitos orais para aliviar a ansiedade.

 

Portanto... Quem nunca aliviou a tensão com uma barra de chocolate que atire a primeira pedra!

 

FASE ORAL.01

Olá, gostou dos nossos cursos, tem alguma dúvida ? Preencha o formulário e ligamos para você