O alcoolismo se caracteriza por um vício, com ingestão regular e excessiva de bebidas alcoólicas, por vezes incontrolável. No alcoolismo pode ser observada a dependência, o abuso, a abstinência e a embriaguez. Tendo como consequências, perdas pontuais de memória, alucinações, alteração de humor, agressividade; distúrbios do sono, sexuais e de ansiedade; e mesmo um delirium tremens, que pode ser fatal.

 

  A dependência é condicionada a dois fatores: a busca do prazer ou a fuga da dor. O vício do álcool, obedece a esses dois mecanismos. Por trazer sensações que de alguma forma o agradam, a pessoa acaba por buscar e ingerir cada vez mais. Ao mesmo tempo, quando o indivíduo vive um momento de frustração ou dor, acaba por buscar um refúgio, onde acredita que estará livre deste mal. Entra-se então num ciclo vicioso em que se necessita ingerir cada vez mais álcool, para obter o mesmo prazer. Por outro lado, ficar sem ele, gera a abstinência, que lhe é desagradável, por isso o retorno e continuação do vício.

 

 Normalmente o paciente irá negar sua condição de alcoólatra, por isso a dificuldade de identificar o vício, e quando se chega ao diagnóstico, o estágio já está avançado. Nesse momento os danos, física e emocionalmente já trazem prejuízos consideráveis à si mesmo e à família, requerendo um tratamento mais intenso. O paciente precisa estar envolvido com o tratamento e a aceitação de sua condição, sem que isso afete sua auto-estima. Esta sendo importante para a superação de sua condição.

 

  Após fazer uma anamnése, ou seja, um levantamento de dados sobre o paciente e sua relação com o álcool, inicia-se o tratamento com a hipnose, que será de acordo com cada paciente. Por vezes, é necessário quebrar alguns padrões que a pessoa estabeleceu entre seus comportamentos, atitudes ou atividades e o álcool. Possibilitando novas condutas, a busca de outras fontes de prazer e aprendendo a lidar com a dor ou frustrações em geral. Estas, que são fontes normalmente motivadoras para a ingestão de bebidas alcoólicas. Assim como, por meio da hipnose sugerir uma vida sem o vício e as possibilidades saudáveis que isso traria.

 

mais-informacoes agende-sua-consulta

Atualmente a Síndrome da Alienação Parental está crescendo e sendo cada vez mais comum entre os casais que resolvem romper o matrimônio, motivando a criação de leis e aconselhamentos específicos. O processo de guarda do filho, as causas da alienação parental, o efeito na criança da síndrome, a relação entre alienação parental e a lei brasileira e o tratamento para a criança ultrapassar esse capítulo obscuro de sua vida sem sequelas, é uma tarefa difícil para estas crianças.

A ansiedade

Quando você pensar em um futuro péssimo ficará mal de imediato, se pensar em um futuro ótimo irá sorrir de imediato. 

Os especialistas dizem que a ansiedade pode ser vista como um fenômeno que ora nos beneficia ora nos prejudica. Tudo depende das circunstâncias ou da intensidade com que ela se manifesta. 

É crucial esclarecer que a ansiedade é um estado de alerta que procura mostrar ao indivíduo que existe um perigo eminente, seja ele emocional ou não. Portanto, a descarga ansiosa demasiada serve para que a pessoa assuma providências seja para o enfretamento ou para uma fuga da condição. Os transtornos de ansiedade são doenças relacionadas ao funcionamento do corpo e às experiências de vida. Eles têm sintomas muito mais intensos do que aquela ansiedade normal do dia a dia. 

Neste sentido, cristalina a conclusão de que a ansiedade surge de um futuro incerto, com paridade a algo que já esta pré-estabelecido, como por exemplo: uma conversa com o patrão que o chama para uma conversa inesperada; uma palestra programada; uma entrevista de emprego; ou mesmo algo que ocorra de imediato e inesperado pelo indivíduo. A partir destes fatos, são desencadeados pensamentos que levam a uma sobrecarga psíquica ansiosa, provocando reações neurofisiológicas, o que pode trazer dor ou sofrimento. 

Na celeuma da interpretação psicossomática, podemos afirmar e esclarecer que a ansiedade pode causar ao indivíduo, transtornos mentais, vivências extremas de estresse, alcoolismo, tabagismo (fumar), uso de drogas, excesso de peso ou mesmo dietas alimentares compulsivas. A pessoa angustiada tem medo do nada, o indivíduo ansioso tem medo de tudo. 

Portanto, nos novos padrões sociais em que vivemos e com auxílio da hipnoterapia o indivíduo consegue estabelecer o seu equilíbrio emocional mais rapidamente evitando assim o descompasso psíquico e problemas diversos em sua vida e rotina.

Oportuno se torna dizer que, com a hipnose, utilizando os meios da hipnoterapia, o objetivo não é eliminar a ansiedade, pois esta é inerente ao ser humano, o objetivo é minimizá-la e desenvolver recursos internos para aprender a lidar com ela, com moderação e equilíbrio, se faz necessário verificar o porque da ansiedade traz sofrimento e em quais momentos específicos isso ocorre, o porque de não conseguir controlá-la. Destarte, equipa-se o paciente com instrumentos para lidar melhor com esse sentimento, libertando-o do mal estar que ele provoca.

Portanto, agende sua sessão presencial ou online, estaremos prontos para auxiliar você.

 

 

logo PSICO preto e branco FUNDO TRANSPARENTE

 

 

mais-informacoes agende-sua-consulta

A hipnoterapia domiciliar surge com a intenção de auxiliar àqueles que não podem ou não conseguem por algum motivo ou razão sair de seus lares. Portanto , o atendimento será em seu domicílio, de maneira personalizada. Iremos até você em seu auxílio.

Atendimento somente na cidade de São Paulo - Capital - consulte os valores antecipadamente pelo WhatsApp ( 11 ) 982415399.

  A autoestima significa o quanto a pessoa se estima, quanto amor tem a si mesma, como ela vê sua imagem, alguém feliz ou triste, feia ou bonita, como se autoavalia, capaz ou incapaz, de sucesso ou insucesso. A baixa autoestima vem principalmente da crença de que não se pode errar. Muitos pacientes apresentam pensamentos de que não são capazes e que nunca serão como as outras pessoas, por ele consideradas melhores.

 

  O quanto o indivíduo ama a si mesmo determinará em muito a sua forma de portar-se frente ao mundo, perante a si mesmo e as outras pessoas. Determinará o quão forte será, o quanto suas próprias idéias, pensamentos e sentimentos o conduzem, o fazem se mover em busca de seus objetivos, e o quanto os outros influenciam de uma maneira negativa ou positiva em sua vida , e as implicações dessas assimilações.

 

 A cultura social e principalmente religiosa enfatiza e pode nos levar a agir muito direcionado ao "próximo", dando-lhe um valor demasiado, podendo influenciar em nossas atitudes e pensamentos em detrimento do eu. Sem dúvida, é importante respeitar o outro, fazer a ele o "bem", amá-lo, aceitá-lo como é, e ouví-lo, porém deve-se ter a justa medida, o equilíbrio para que o eu não seja suplantado. Fazer ou sacrificar-se pelo outro e esquecer de si mesmo não é saudável. As vezes a pessoa é tão influenciada a ponto de perder sua própria identidade ou camuflando a que tem. Quando se estima ou se ama apenas o que o outro tem ou é, não olhando a si mesmo, a probabilidade de decepções é maior.

 

 Trabalhando com a hipnose e alguns conteúdos advindos da filosofia, pode-se desenvolver no indivíduo pensamentos direcionados a valores morais, afetivos, virtudes humanas, entre outros. Dando-lhe condições da busca de si, do que gosta, o que lhe faz bem, e até mesmo pensar sobre o porque de certas escolhas, transformando dificuldades em possibilidades. Quanto mais coisas nos fazem bem e nos dão prazer, maior será a probabilidade de sermos felizes e termos uma autoestima elevada.

mais-informacoes agende-sua-consulta

Partindo da premissa de que cérebro não distingue o real do imaginário, ele é atemporal e trabalha a todo instante para produzir o que ele visualiza, sendo assim, com a hipnose utilizando as técnicas psíquicas da hipnoterapia, auxilia o cliente paciente a conduzir sua mudança comportamental alimentar em algumas sessões, condicionando-o a adotar atitudes capazes de mudar hábitos antigos e cristalizar os novos.


Essa mudança de pensamento é fundamental para a perda de peso. Emagrecer é mudar o relacionamento com a comida. O que nos faz comer não é o nosso estomago, e sim a nossa cabeça. Modificando nossa mente, trabalhando as razões que estão atrás do excesso de peso, você irá emagrecer e se manter magra.


Portanto, após algumas sessões buscando a mudança alimentar se faz necessário utilizar a técnica imaginária de visualização mental do cérebro para a introdução do balão gástrico imaginário, vale esclarecer que durante o transe hipnótico a potencialização de imagens faz com que o cliente paciente, sinta, acredite, visualize e ouça tudo que diz a ele, criando a sensação e ambiente propício para à eficácia da técnica, que consiste em implantar no estômago do paciente um Balão Imaginário que irá preencher um determinado espaço, dando a sensação de sacies, de estômago satisfeito, diminuindo a quantidade de alimentos em suas refeições. Assim, a pessoa reduz o seu peso de forma gradual e segura.


O Balão Imaginário é um método que foi desenvolvido em 2010, baseado no sucesso do procedimento com a britânica Marion Corns que eliminou 25 kg com hipnose no sul da Espanha, na clinica Elite.


Depois de muitos estudos, testes em grupos e individuais, criou-se o procedimento – Balão Imaginário, com o objetivo de auxiliar pessoas a eliminarem peso e manterem-se magras.


Por que a hipnose funciona? Uma das hipóteses mais aceitas é a de que, durante o transe, o sistema límbico, região do sistema nervoso responsável pelas imagens e emoções, deixa de enviar informações para o córtex, região do cérebro que cuida da consciência e do raciocínio. Assim, nosso lado consciente fica sem reservas - e, por isso, totalmente vulnerável às sugestões do hipnotizador. O cérebro passa a focar uma coisa e se desliga do resto, como acontece quando você lê um livro, assiste a um filme ou ouve uma música.


Transformada em show circense, a hipnose ganhou má fama e perdeu credibilidade. Hoje, é reconhecida como um recurso terapêutico importante por instituições de renome, como o Hospital A. C. Camargo, especializado na luta contra o câncer, para aliviar os efeitos colaterais da quimioterapia, e no Hospital das Clínicas, ambos em São Paulo, no tratamento de dores crônicas.


Sumariando, alimentar-se para viver melhor e com qualidade, conquistar com segurança o seu peso ideal, trabalhar a sua mente para uma alimentação equilibrada e saudável, são objetivos atingíveis que trarão de volta a sua autoestima e bem estar consigo mesma. Nesse rumo, pretendemos alcançar um peso magro, para isso precisamos nos comportar como magros. Mais do que isso: precisamos aprender a lidar com as nossas emoções e sentimentos, e reeducar nossa mente.

 

Psicologia.5.5 transparente 01

Inicialmente podemos tecer algumas afirmações de que o Bullying se distingue por um assédio, realizado por alguém que pode fixar seu poder sobre um indivíduo, ou um grupo mais fraco e com problemas de reagir, um “poder perverso” que faz um mal emocional também para quem o exerce.

 

Vale esclarecer que essa palavra tem sua origem na língua inglesa, bully poderia ser traduzida por valentão. Constantemente o agente do bullying evidencia comportamento agressivo e repetitivo, este indivíduo só faz isso porque confia que não irá ser afrontado ou castigado. Nesse rumo, a conduta do bullyng também pode se manifestar como assédio moral ou social, exemplo: espalhar comentários difamatórios, malfadar pessoas em seus ambientes sociais, forçar situações constrangedoras, forçar a fazer o que não quer, humilhar, insultar, injuriar, impedir o contato social, forçando ao isolamento, ignorando. Ainda neste sentido, o indivíduo que pratica o bullyng, ao mesmo tempo em que faz críticas, tais como na forma de se vestir, de se comportar, a condição social, a etnia, sobre as incapacidades, entre outros.

 

Portanto, o bullying pode acontecer em diferentes ambientes como na escola, na rua, na faculdade, no trabalho ou lugares sociais. Ocorre que, a vítima normalmente tem medo do seu agressor e possui motivos para tal, eis que, as frequentes intimidações e mesmo a agressão consumada, física ou sexual, sendo assim, a vítima tem dificuldades em partilhar essa realidade, tanto pela preocupação de como isso será visto, como pela efetivação das ameaças, isso normalmente ocorre para se proteger, como para proteger alguém.

 

A prática do bullying vem constituindo e sendo considerado como um crime, um ato ilícito que vai contra o direito constitucional de dignidade da pessoa humana. A Legislação Jurídica Brasileira legitima o bullying como uma atitude violenta, tanto física quanto psicológica, que ocorre sem motivo aparente, pois, tal violência que é praticada com objetivo de intimidar e agredir, o que produz dor, sofrimento e angústia nas vítimas.

 

Diante de todo o narrado, oportuno se torna dizer que o tratamento terapêutico se faz necessário na maioria dos casos de bullying, ou seja, o indivíduo acaba acumulando um medo excessivo das pessoas, se afastando do meio social e tendo problemas em se relacionar ou se comunicar. Destarte, são imensuráveis as consequências deste processo agressivo, causando a fragilização emocional. Muito além do medo, o bullying deixa marcas como a baixa autoestima, ansiedade, pesadelos, insônia, dificuldade de concentração, diminuição do rendimento escolar, somatizações diversas, por vezes com a intenção de evitar a exposição, humor instável, enurese, stress, ataques de pânico, uso de substâncias viciosas e mesmo o suicídio.

 

Deste modo, a hipnoterapia pode auxiliar na estruturação emocional da vítima de bullying, pois, ressignificando as experiências traumáticas pelas quais passou, para que assim possa enxergar sob um novo prisma, um novo olhar, um novo conceito de si mesmo, dando o suporte para que recupere sua autoestima e, gradualmente volte à convivência social, volte a confiar e se relacionar com as pessoas, para que recupere a sua confiança, sem medo. Equipando ao indivíduo com ferramentas emocionais para que se veja inserido no convívio, se perceba livre, seguro e possa viver com qualidade.

mais-informacoes agende-sua-consulta

A compulsão por comprar ou oneomania, se caracteriza pela convulsividade ou vício em adquirir coisas. No paciente oniomaníaco, a necessidade por comprar, é a mesma encontrada em um adicto de drogas. Considerada uma doença, normalmente está associada a ansiedade, depressão, instabilidade do humor, impulsividade, sentimentos de frustração, transtornos alimentares e mesmo o consumo de drogas.

 

Na tentativa de aplacar seus desejos, o paciente compra, por vezes sem necessidade, sem utilidade. Apenas pela sensação de possuir, de comprar, isso lhe proporciona prazer. Momentaneamente, esse ato pode dirimir o sentimento de frustração, angústia ou mesmo da depressão. Entretanto, tal alívio é fugas, logo o desejo se refaz e a vontade de possuir aflora. Um ciclo vicioso que o indivíduo não consegue controlar. Mesmo que aja o prazer no ato, o momento seguinte pode trazer intenso sentimento de culpa, remorso e frustração pela incapacidade de se controlar.

 

O efeito colateral é que além de acumular coisas que não irão ser usufruídas, também divida que se acumulam sem controle. Pois o oniomaníaco acaba por gastar mais do que ganha, e até mesmo se coloca em situações embaraçosas, como passar cheques sem fundo, omitir suas reais condições financeiras, e mentir para familiares, além de causar prejuízos financeiros a estes.

A hipnose é uma ótima ferramenta para trabalhar essa compulsão. É a forma de terapia que mais vem alcançando resultados positivos. Após um mapeamento da realidade individual do paciente, sua história de vida, a cultura vigente em sua educação e o histórico da compulsão em si, tem-se início a parte prática do tratamento. Trabalha-se tanto os sintomas associados, como a ansiedade, além das possíveis causas que levam o paciente a esse descontrole. Há muitas questões inconscientes que o levam a tal comportamento, e isso precisa ser elaborado, ressignificando, transformado. Dando a possibilidade do paciente de se libertar, tendo assim o poder sobre suas escolhas e decisões. Estando no controle de seus pensamentos, estará no controle de seus sentimentos e comportamentos.

mais-informacoes agende-sua-consulta

Em nossos novos tempos a Internet se tornou uma mídia de relacionamento isolado. O individuo fica sozinho se relacionando com outras pessoas, com informações, diversas, produtos, serviços, enfim com o mundo, muito embora essa comunicação possa ser feita pela linguagem escrita, falada, com sons e imagens.

Vale esclarecer que a Internet apresenta uma diversidade cada vez maior e as pessoas aprendem conviver com a liberdade de escolha, sendo que o conhecimento de cada pessoa é que vai indicar para cada pessoa o que é bom.

Oportuno se torna elucidar que, usar o computador durante oito horas diárias no trabalho e ainda passar boa parte do tempo conectado em casa, no trânsito e na escola passou a ser um hábito de muitas pessoas. Para alguns especialistas, essa conexão exagerada pode se tornar um vício e trazer problemas aos usuários compulsivos, com tendência ao agravamento quando se trata de redes sociais como o Facebook ou o Twitter. Pesquisa recentemente divulgada pela Universidade de Chicago (Estados Unidos) apontou que checar o Facebook é mais tentador para seus adeptos do que passar a noite com seus respectivos cônjuges.

Nesse sentindo, é crucial continuarmos a esclarecer que, dos bilhões de internautas de todo o mundo, cerca de 10% são considerados viciados, enquanto 20% dos usuários de celulares também fazem uso exagerado de seus aparelhos móveis, informa Cristiano Nabuco de Abreu, coordenador do Grupo de Dependências Tecnológicas do Ambulatório Integrado dos Transtornos do Impulso do Hospital das Clínicas de São Paulo e co-autor do livro Dependência de Internet – Manual e Guia de Avaliação e Tratamento. “A maioria das pessoas que desenvolve uma dependência tecnológica apresenta depressão, fobia social ou transtorno bipolar de humor. Um indivíduo que tenha dificuldade de se relacionar socialmente acaba usando a internet ou o smartphone para contornar essa dificuldade”, acrescenta. “É o que chamamos de comorbidade – a presença de um outro problema associado”, explica o especialista.

A internet modifica a cada dia mais e mais os relacionamentos das pessoas em geral, o relacionamento familiar, as comunicações, o comércio, ou seja, vem ressignificando todas as instâncias e níveis sociais e, ainda não podemos afirmar onde chegaremos com essa nova realidade.

Portanto, não devemos ignorar essa nova realidade, apenas não podemos deixá-la que tome conta de nossas vidas ou chegue a potencializar ou encorajar outras dependências psicológicas.

A hipnose, utilizando as técnicas aplicadas da hipnoterapia, de maneira muito eficaz auxilia o indivíduo a buscar e perceber um novo significado para sua compulsão pela internet e rede social, buscando conjuntamente não o abando da utilização desses meios de comunicação e sim mostrando e ressignificação existirem outras e novas possibilidades para este fim e, consequentemente trazendo o indivíduo de volta para o convívio social desejado.

 

mais-informacoes agende-sua-consulta

  A depressão se apresenta como uma falta de gosto pela vida, como um transtorno afetivo e do humor. O indivíduo depressivo normalmente tem uma visão distorcida da realidade e não consegue perceber um futuro que seja prazeroso. Apresenta apatia frente aos diferentes estímulos que a vida lhe apresenta.


  A depressão é uma alteração no pensamento, uma quebra de raciocínios que antes seguiam uma linha e que agora mediante a este novo estado, começa a pensar e sentir de uma forma até mesmo incoerente. Perdendo um pouco o próprio sentido da vida, suas motivações e objetivos enquanto Ser Humano.


  Este transtorno não é apenas psíquico, também é físico na medida que há uma baixa na produção de serotonina, o hormônio que proporciona as sensações de prazer no corpo, sendo as vezes necessário medicamentos. Isso acontece na medida em que métodos de psicoterapia não são suficientes ou ter procurado um profissional depois de um certo tempo do sintoma se manifestar.


  A hipnose, possibilita diferentes articulações do pensar, o que pode proporcionar mudanças específicas, onde o indivíduo ao vir pensando de uma certa forma, um pensamento viciado, ou mesmo contagiado pelo problema da depressão, pode modificá-lo. O paciente precisa ver transformada suas formas de perceber a si mesmo, o mundo e seu próprio futuro; Do negativo para o positivo. Com a hipnose, é possível coloca-lo em diferentes situações no presente e futuro, onde possa se imaginar já com uma nova realidade. Ver-se em diferentes situações: em casa, com familiares, amigos, no trabalho, na rua ou no clube. O interessante é cobrir o máximo de possibilidades onde o paciente possa se ver nas mudanças de hábitos, pensamentos, comportamentos e nas suas diferentes interações humanas.


   Na hipnose, também tem-se a possibilidade do transe, que é um pensamento direcionado, este proporcionará com ainda maior facilidade a mudança. Desta forma, pode-se ajudar o paciente a reaprender ou mesmo aprender novas formas de reagir frente aos diferentes estímulos, que até então eram de apatia. Como mais gosto, mais prazer, voltando à sua vida normal, conquistando um viver mais equilibrado.

 

 

mais-informacoes agende-sua-consulta

Olá, gostou dos nossos cursos, tem alguma dúvida ? Preencha o formulário e ligamos para você